29/10/2020 às 00h00min - Atualizada em 29/10/2020 às 00h00min

​Operação ‘Caça-vazamentos’: previsão de conclusão em dezembro

Da Redação
Casan/Divulgação
A Casan (Companhia Catarinense de Águas e Saneamento) prevê concluir em dezembro a obra de varredura em 450 quilômetros de redes adutoras de distribuição de água em Florianópolis. O objetivo, segundo a companhia, é buscar os chamados vazamentos ocultos, que não aparecem na superfície, mas que podem geram grandes prejuízos ao sistema de abastecimento. Hoje, segundo a concessionária, as perdas físicas de água disponibilizada fica entre 20% e 25%.

A operação, chamada de ‘Caça-Vazamentos, tenta sanar esses vazamentos que são de pequeno porte, mas que ao longo do tempo podem gerar esses prejuízos. “São geralmente vazamentos de menor porte, mas que, muitas vezes, ficam longo tempo sem serem percebidos, impactando os sistemas de abastecimento e aumentando os índices de perdas”, diz a empresa.

Ainda de acordo com a Casan, os vazamentos ocultos são passíveis de identificação com o uso de equipamentos de detecção acústica, como hastes de escuta e geofones eletrônicos, que são utilizados pelos técnicos de empresa especializada que dará suporte à varredura. A B&B Engenharia, contratada por licitação, conta com certificação da Abendi (Associação Brasileira de Ensaios Não Destrutivos e Inspeção).

Numa primeira etapa, a Operação Caça-Vazamentos prevê percorrer 18 bairros e praias do Norte da Ilha, preparando o Sistema Costa/Norte da Companhia para a temporada de Verão.

Os locais escolhidos para esta primeira etapa são DMCs, Distritos de Medição e Controle, nos quais o monitoramento através de medidores de vazão permitirá visualizar os resultados obtidos em cada região pesquisada. Posteriormente, o trabalho será estendido a outras áreas da cidade e, após avaliações e diagnósticos da primeira etapa, deverá ser replicado em outros municípios.

“Se a população enxergar uma equipe caminhando pelas ruas com um equipamento de escuta, saiba que estamos em busca de vazamentos ocultos com a finalidade de reduzir o volume de perdas físicas e trazer melhorias no abastecimento de água”, explica a engenheira Sheila Kusterko, coordenadora do projeto executado pela SEM (Superintendência Regional Metropolitana).

Em outubro, a obra vem sendo realizada na Praia Brava, Cachoeira do Bom Jesus, Lagoinha, Santinho e Ingleses (adutoras de água bruta). Em novembro, começa na praia dos Ingleses (adutoras de água tratada), Ratones, Vargem Pequena, Vargem Grande, Praia do Forte, Jurerê e Daniela. E, finalmente, em dezembro, acontece em Muquém e Rio Vermelho.

São José.
Paralelo ao trabalho em Florianópolis, a Casan anunciou investimento de mais de R$ 1 milhão em São José, na região metropolitana, para reforçar o Sistema de Abastecimento de Água do Centro Histórico e da Praia Comprida. Lá, a empresa está substituindo toda a rede de distribuição da região. A obra faz parte da Operação Verão, devendo ser concluída ainda em 2020.  A previsão é de beneficiar 6.300 moradores da região.

Desde a altura do número 1.390 da rua Presidente Kennedy até a Rua Frederico Afonso, 4189, nas proximidades da Ponta de Baixo, a tubulação de ferro fundido, que passava bem no meio da via asfaltada, está sendo substituída por tubos Pead, agora sob a calçada, nos dois lados do passeio.

Segundo a empresa, até dezembro, a obra pode gerar alguns transtornos ao tráfego na região, mas a obra e os desvios estão bem sinalizados para facilitar a rotina dos motoristas.

“Além do reforço no abastecimento, não teremos mais necessidade de interromper trânsito e nem refazer o asfalto em uma das principais vias do município em caso de manutenção, pois todas as ligações serão executadas nas redes que estão passando agora pela calçada”, diz o Superintendente Regional Metropolitano, engenheiro Joel Horstmann.
Link
Notícias Relacionadas
Comentários »
Contato pelo whatsapp...
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp