29/03/2024 às 11h36min - Atualizada em 31/03/2024 às 00h00min

“deuZONAS - vozes ferozes” promove a diversidade de artistas mulheres

Bibi Bog, NATASHA, AnarkoTrans e Jessica Assis revelam canções inéditas no EP com produção de Angélica Duarte

Daniel Corrêa
Leonardo Elger

Depois de estabelecer seu nome com uma forte identidade na cena independente nacional, a cantora e compositora Angélica Duarte se desafiou a ir além de seu trabalho autoral e a produzir outras artistas. Ela abriu um chamamento online para selecionar cantoras e compositoras mulheres, cis ou trans, e pessoas não-binárias. Dessa confluência se formou o EP “deuZONAS - vozes ferozes”, com canções inéditas de Bibi Bog, NATASHA, AnarkoTrans e Jessica Assis, que serão lançadas como singles a partir do dia 05/04. 

O EP reúne quatro talentos da nova geração, apresentando suas perspectivas próprias. O amor sapatão surge em “Emocionada”, canção pop com estética lo-fi de Bibi Bog, cantora que utiliza a música como forma de autoconhecimento desde os 14 anos. Em “Samba sem Amor”, NATASHA mescla o tradicional com o contemporâneo, refletindo a sensibilidade em suas composições. AnarkoTrans faz um rap afiado que aponta o dedo na cara do homem cis hétero na urgente “Farpa Feminina”. Mulher preta e travesti, ela transmite suas vivências políticas através da música em eventos culturais pelo Brasil. Por fim, Jessica Assis canta sobre a vida e a coragem. Ela apresenta “Vim Sozinha”, um indie-folk carregado de sentimentos.

Para Angélica Duarte, o objetivo era produzir o trabalho de outras criadoras e ela usou esta oportunidade para promover mulheres que buscam um pontapé inicial na carreira. “Minha vontade era me desafiar a produzir canções diferentes e entrar em contato com novas vozes, novas sonoridades”, ela conta. “Com isso, bolei uma chamada pública a fim de dar oportunidade a novos talentos, privilegiando artistas promissoras que nunca haviam tido a oportunidade de lançar um fonograma. Durante um curto período de inscrição tive respostas suficientes e selecionei quatro gêneros distintos para produzir, de quatro mulheres talentosíssimas que tem muito o que dizer em suas canções autorais”.

A proposta de mesclar os gêneros musicais veio justamente de explorar diferentes estéticas. Cada canção trouxe um universo diferente, calcado nas tradições de cada estilo, porém abrindo espaço para experimentação e um olhar renovado. Como produtora, Duarte pode construir a sonoridade junto às artistas, que forneceram playlists com suas referências musicais. Ao longo de dois meses, Angélica se dedicou exclusivamente à gravação e produção das quatro faixas. 

“Cada canção é um mistério, primeiro preciso entender o que quer dizer, de quais camadas ela precisa para crescer, acontecer. Esse processo de arranjo não tem receita, em alguns momentos a produção flui com muita naturalidade, em outros, é uma bateção de cabeça sem fim. O frio na barriga de mandar os primeiros testes foi indescritível, eu nunca havia passado por isso, sempre produzi minhas próprias músicas, e foi uma alegria perceber que eu estava de fato dialogando com as canções, sempre tive uma resposta positiva e estou muito animada com esses lançamentos. A diversidade me interessa muito, acho que consegui reunir perfis muito interessantes nesse grupo de quatro mulheres”, comemora Angélica.

Sua iniciativa parte de uma vivência intensa dedicada à música como intérprete, compositora, arranjadora, instrumentista e produtora. Nascida em São Paulo e radicada no Rio há oito anos, Angélica Duarte faz uma MPB com olhar pop e tem em seu currículo o EP “Odara” (2018) e o álbum autoral “Hoje Tem” (2021) com participações de Juliana Linhares e Letrux. Ela tem se destacado como produtora musical em seu nicho e tem formado parcerias com compositoras e instrumentistas de sua geração, tendo produzido uma porção de singles em seu estúdio, l0vynho. 

O EP “deuZONAS” inaugura uma nova fase da artista, que busca compartilhar sua bagagem musical com novas vozes de diferentes gêneros e locais da música brasileira, trazendo um olhar plural e novo para a cena musical carioca onde o trabalho nasce. Angélica Duarte prepara ainda outras novidades para 2024, a serem reveladas em breve. 

Ficha técnica:

Artistas:

Bibi Bog

NATASHA

AnarkoTrans 

Jessica Assis

 

Curadoria e Produção Musical: Angélica Duarte

Gravado no estúdio l0vynho

Mix e Master: Rômulo Mendes

Foto: Leonardo Elger

Beleza: Tainá Lasmar

Distribuição: Tratore

Comunicação: Build Up Media


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Manezinho News Publicidade 1200x90
Contato pelo whatsapp...
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp