19/02/2024 às 15h32min - Atualizada em 20/02/2024 às 00h02min

Projeto Letramento Digital, executado pela FACTI com apoio do Educacional - Ecossistema de Tecnologia e Inovação, impulsiona a Educação Digital

Iniciativa promove a formação de professores e entusiastas das tecnologias digitais para atuarem como multiplicadores de conhecimento em suas regiões

Assessoria de Imprensa
Imagem: Divulgação / Educacional
A transformação digital vem se concretizando diariamente e requer que os jovens desenvolvam habilidades essenciais para se destacarem em ambientes tecnológicos em evolução contínua. O Projeto Letramento Digital, coordenado e executado pela Facti com o apoio do Educacional, tem como proposta formar agentes multiplicadores para apoiar estudantes em ambientes tecnológicos em constante evolução. O projeto faz parte do programa MCTI Futuro, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e é financiado com recursos do PPI coordenado pela Softex, oriundos da Lei de Informática.

Sem nenhum custo para os participantes, o Letramento Digital promove a formação de agentes multiplicadores (estudantes, professores e profissionais de diferentes áreas) das cidades atendidas pelo projeto, independentemente do seu nível de conhecimento ou experiência prévia com o tema Letramento Digital. Posteriormente, os multiplicadores promovem atividades de educação digital para alunos que estejam matriculados e cursando o 4º ou o 5º ano do Ensino Fundamental.

O Projeto já foi implementado nas cidades paranaenses de Pato Branco e Londrina, com grande sucesso. O Educacional fornece o Programa de Educação 4.0 Inventura, solução integrada por livro multidisciplinar, placa programável e ambiente de programação, que promove uma aprendizagem dinâmica e lúdica. Esses materiais possibilitam que os alunos usem a criatividade e a inovação e desenvolvam o pensamento crítico, por meio da metodologia maker e prototipagem, utilizando linguagens de programação.

 A colaboração estratégica entre Educacional e Facti tem como objetivo promover uma transformação do cenário educacional das cidades contempladas pelo projeto e na vida dos jovens estudantes: “Queremos que os alunos tenham acesso aos benefícios proporcionados pela tecnologia na era digital”, diz Regina Silva, diretora pedagógica da Educacional. “O projeto é sobre transformar comunidades e motivar os jovens ingressarem na área de ciência e tecnologia”. 

Como parte da formação profissionalizante promovida pelo projeto, os multiplicadores compartilham o conhecimento adquirido realizando atividades com alunos das escolas das cidades participantes, ação relevante para a disseminação da cultura digital. Além disso, os docentes das redes municipais também tiveram a oportunidade de participar da formação, aprimorando ainda mais a sua prática com os princípios da educação tecnológica.

De acordo com José Augusto de Lima Prestes, Coordenador-Geral do Projeto Letramento Digital e também Gerente de Governança e Compliance da Facti, trata-se de um projeto inovador, que contribui para o futuro das pessoas. “O curso foi construído pela Facti com base no Programa Inventura, que é a espinha dorsal das atividades levadas para as escolas, além de contar com outros materiais didáticos autorais desenvolvidos pela Facti”, afirma ele. 

Ainda segundo Prestes, o projeto tem um resultado amplo, que contempla também aspectos socioemocionais: “Podemos notar alguns efeitos positivos inesperados nas questões comportamentais dos estudantes [que passaram pelo projeto]. Tivemos o caso de um menino que não falava e não interagia com os professores e demais crianças durante o período que estava na escola. A partir das atividades e interações no Projeto Letramento Digital, ele começou a socializar mais e agora já conversa normalmente com os colegas. Esse é um exemplo, porém, há uma série de situações que os alunos superam as suas dificuldades socioemocionais”.

Outro ponto relevante é que, com a participação de multiplicadores, o conhecimento pode ser levado até as zonas rurais, além de outras áreas afastadas dos grandes centros, proporcionando aos estudantes desses locais o acesso a uma educação inovadora.

Para José Scodiero, head da Fundação Micro:bit na América Latina, a inserção do Micro:Bit nesse contexto digital é revolucionária. “Estamos apresentando uma ferramenta versátil, que apoia os jovens para explorar, criar e inovar no mundo digital, abrindo portas para infinitas possibilidades de aprendizado e desenvolvimento de habilidades”, diz ele. “É algo bastante nobre poder participar de um projeto que possibilita inúmeras iniciativas e oferece possibilidades de expansão para alcançar ainda mais jovens e seus familiares."
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Manezinho News Publicidade 1200x90
Contato pelo whatsapp...
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp