05/02/2024 às 16h28min - Atualizada em 06/02/2024 às 20h02min

Conheça os riscos no superaquecimento para a junta e o cabeçote do motor

Assessoria
https://www.grupoprinter.com.br/
freepik
  • Falhas no sistema de arrefecimento provocam queima da junta, trinca e empeno no cabeçote  
  • Avarias podem paralisar funcionamento e necessitar de retífica do motor
  • Supervisor da TAKAO explica causas e como proceder em caso de avarias
Uma trinca ou o empeno no cabeçote de motor, assim como uma junta de cabeçote queimada podem causar graves problemas ao motorista. Ocorrências sérias, um cabeçote trincado ou empenado exige muito mais do que uma nova junta para ser reparado. Saber com qual problema o reparador está lidando é fundamental para a realização de um serviço assertivo. A TAKAO, marca de componentes para motor comercializada pela Goop Distribuidora, e referência no mercado de reparação automotiva, apresenta informações importantes de um especialista no assunto.

Sinais de problemas com a junta e com o cabeçote

Os sintomas de um cabeçote com trinca ou empenado e de uma junta de vedação danificada são semelhantes. Por isso, fique atento, pois é possível notar um ou vários indícios de problemas:
  • Superaquecimento do motor;
  • Baixo nível do fluido de arrefecimento;
  • Fumaça branca saindo do escapamento;
  • Borbulha do fluido no radiador e no depósito de expansão;
  • Perda do fluido de arrefecimento sem a comprovação de vazamentos;
  • Coloração branca leitosa no óleo;
  • Falhas na ignição e no funcionamento do motor;
  • Vazamento de óleo do motor e do fluido do radiador;
  • Acendimento da luz de verificação do motor no painel de instrumentos.
O risco do superaquecimento do motor

Entre as causas para a queima da junta de cabeçote, trinca ou empenamento no cabeçote do motor está no superaquecimento. O elo mais fraco dos dois é a junta de vedação do cabeçote. “Na maioria dos casos, essa peça falha antes que o cabeçote trinque ou empene, mas às vezes, ambos podem sofrer avarias, provocadas devido às deficiências no sistema de arrefecimento”, explica Marlon Silva, coordenador técnico da TAKAO.
Uma das fontes do superaquecimento pode ser o baixo nível do líquido de arrefecimento, essencial para manter a temperatura de trabalho dentro dos parâmetros de funcionamento definidos pelo fabricante. Esse limite pode variar entre 90ºC e 110ºC, sendo que um bom fluido arrefecedor atua como um aditivo, elevando o ponto de ebulição para além deste limite. No entanto, falhas nas mangueiras, bomba de água, válvula termostática ou sensores podem contribuir para o aumento da temperatura interna, comprometendo os demais componentes, entre eles, a junta do cabeçote. Uma correia quebrada, que faz com que a bomba d'água não funcione mais ou uma avaria no ventilador elétrico são outras fontes que podem causar o superaquecimento do motor. “Hoje, com motores menores e mais potentes e com maior taxa de compressão. Eles tendem a ficar mais quentes; e muitas vezes não se atenta para o bloco do motor, que empena com muito mais frequência”, complementa o supervisor da TAKAO.

Diagnóstico e reparo

Como as causas da queima da junta, da trinca e do empeno do cabeçote são semelhantes, a única maneira de fazer um diagnóstico definitivo é remover o conjunto e realizar uma inspeção visual apurada. Em muitos casos, o cabeçote precisará ser enviado para uma retífica, para a realização de um teste de pressão para determinar se há rachaduras, empenamento ou outras avarias. Somente após isso, será possível tomar a decisão sobre quais reparos são necessários.
Embora seja trabalhoso, a substituição da junta do cabeçote é um reparo comum e econômico. No entanto, substituir um cabeçote trincado demanda muito mais trabalho e pode ser extremamente caro, já que exigirá a realização de uma retífica em oficinas especializadas. Além disso, o superaquecimento do motor que causou a trinca do cabeçote exigirá uma investigação mais aprofundada para garantir que a extremidade inferior do motor esteja em boas condições para garantir a substituição do cabeçote, assim como do sensor de oxigênio e possivelmente, também, do catalisador. No entanto, se as avarias chegarem ao ponto de empenarem o bloco do motor, somente a substituição por um novo conjunto motriz resolverá o problema, causando um grande prejuízo financeiro ao dono do veículo.
“A realização de revisões preventivas, de acordo com o manual do fabricante, é ainda a melhor maneira de se evitar riscos à integridade do veículo. Muitas panes severas começam com pequenas falhas que poderiam ter sido solucionadas em uma simples revisão de rotina”, complementa Silva.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Manezinho News Publicidade 1200x90
Contato pelo whatsapp...
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp