18/10/2023 às 17h53min - Atualizada em 19/10/2023 às 00h00min

Artesãos capixabas marcam presença na Semana Criativa de Tiradentes

Artesãos de Regência Augusta e Povoação, comunidades localizadas no norte do Espírito Santo, apresentam a coleção “...E o que dizem as águas?” 

Ivo Chicuta
www.eoquedizemasaguas.com.br
Divulgação


ARTESÃOS CAPIXABAS MARCAM PRESENÇA COM LINHA DE PRODUTOS ARTESANAIS, AGROPECUÁRIOS E DE MODA NA SEMANA CRIATIVA DE TIRADENTES

No período de 19 a 22 de outubro, durante a Semana Criativa de Tiradentes, os artesãos e empreendedores de Regência Augusta e Povoação, comunidades localizadas no norte do Espírito Santo, apresentam a coleção “...E o que dizem as águas?”, composta por produtos de moda, acessórios, utensílios domésticos e de decoração, gastronômicos e de design artesanal, entre outros. 

Com metodologia desenvolvida e aplicada pela Associação de Culturas Gerais - ACG e curadoria de Ronaldo Fraga, artesãos, artistas e empreendedores da região foram orientados sobre processos criativos, produtivos e gerenciais, desenvolvendo uma linha específica de produtos para comercialização online para todo o Brasil e exterior. 

No primeiro dia do evento - 19 de outubro, 16h30 - no auditório do Centro Cultural Yves Alves, Ronaldo Fraga, acompanhado por Ana Vaz, Ana Lage, Mirian Rocha e as artesãs Deborah Souza dos Santos e Ribeiro e Sandra Mara Braz Pereira, participa do bate-papo  “Rio Doce, Doce Mar”, para falar sobre a experiência, desafios e resultados obtidos junto aos artesãos e empreendedores capixabas. 

Rio Doce, Doce Mar

Parte do Projeto “Rio Doce, Doce Mar”, realizado pela Associação de Cultura Gerais (ACG) e promovido pela Fundação Renova, os criativos locais participaram de várias atividades com foco no fomento da economia e na geração de renda, utilizando como base a economia criativa e a produção associada com ênfase no resgate das tradições regionais, que incluíram práticas produtivas, novas possibilidades artísticas e de design, orientações gerenciais sobre qualidade, precificação, divulgação e vendas nas redes sociais.

Como resultado da ação, iniciada em abril de 2022, os participantes desenvolveram uma linha com variados produtos - desde roupas e objetos de decoração, passando por bebidas, doces, geléias, pães, méis e chocolates, até sabonetes e toalhas, entre outros - que pretende, segundo o curador Ronaldo Fraga, além de gerar renda, “resgatar e preservar a memória local e a autoestima da população”.

“O principal objetivo foi estimular os saberes e fazeres tradicionais dessas comunidades, assim como incluir outros saberes para trazer emprego e renda, mas também para que possam visualizar o futuro”, destaca Fraga.

“Para tanto, buscamos detectar sementes em terreno árido, estabelecendo uma relação de confiança com a população local, inicialmente através da escuta, para então sugerir novas possibilidades criativas para a composição de uma linha de produtos que possa refletir esse universo que já existe”.

“Meu desafio como designer é ser uma ponte entre os Brasis que não se conhecem e, em Regência Augusta e Povoação, onde o rio se encontra com o mar, fato que gerou o nome da coleção, estimulamos as características locais, como a cultura cabocla gerada pela miscigenação indígena e negra, para desenvolver produtos únicos que trazem a identidade e os valores da região”, completa o curador.

Ronaldo relata que o foco do projeto foi provocar, junto aos participantes, “um olhar para a história da formação dos povoados e seu entorno”, privilegiando na coleção elementos ligados à atividade pesqueira, frutos regionais como cacau e manifestações artístico-religiosas, como o congado, por exemplo, que resultaram em produtos com características inusitadas como o pão em formato de congo, o mel de cacau e a cerveja de aroeira, além de roupas, acessórios e objetos com design e estampas inspirados na fauna e flora local. 

Além da coordenação de Ronaldo Fraga, o grupo contou com oficinas ministradas por profissionais especialistas nas várias áreas envolvidas na produção dessas comunidades, como Ana Vaz (design têxtil), Hoslany Fernandes (gastronomia afetiva), Marcelo Maia (artesanato em madeira, papietagem e reciclagem), Lena Santana (moulage), Maria Elizabeth de Oliveira (macramê) e Maria Zélia (decoupage).

Nathalia Torres, presidente da Associação de Cultura Gerais - ACG, reforça a importância do legado proporcionado pelo projeto nas comunidades ao integrar, interligar e formalizar o coletivo. “Criamos redes entre os participantes e também processamos as formalizações que são importantes para as futuras comercializações. Para isso, criou-se uma Associação focada na economia compartilhada e colaborativa como modelo de gestão inovador e criativo”, comenta Nathalia.

Um novo olhar sobre os saberes e fazeres tradicionais

Walter Almeida, da Associação de Arte e Gastronomia da Vila Regência Augusta, comenta a repercussão do projeto junto aos empreendedores da comunidade e as novas oportunidades que poderão ser obtidas com as consultorias realizadas durante o processo de qualificação.

“O projeto promoveu grande motivação para a comunidade ao trazer novos produtos e design. Ronaldo, um artista multifacetado, agregou e trouxe um novo oxigênio para os participantes. Às vezes, ficamos no dia a dia e não despertamos, e agora todos se abriram com muitas pessoas querendo desenvolver novos produtos”, avalia Walter.

Integrante da Associação das Artesãs de Povoação/Rio Doce, Alexsandra Silva Mosca evidencia, entre outros benefícios, o impacto da qualificação profissional e dos respectivos produtos para a alavancagem da economia da região. “Foi maravilhoso. Se os artesãos não assimilarem a qualidade que nos foi proporcionada, vamos ficar atrás no mercado”, sinaliza a artesã.

“Aumentou o nível dos produtos e as possibilidades para um universo muito vasto, pois, a partir disso, abre-se um leque e sua mente começa a pensar despertando várias interrogações. Até então, tínhamos produtos, mas não qualificação profissional. O projeto trouxe essa qualificação e um olhar de mercado que elevou a produção local”, completa Alexsandra.

Os produtos da coleção “...E o que dizem as águas?” podem ser adquiridos no site www.eoquedizemasaguas.com.br  e no instagram @eoquedizemasaguas.

Link para fotos da coleção “...E o que dizem as águas?”:

https://drive.google.com/drive/folders/1VaXeBDcRWpCf_HInCzYih4DMcCH2Basl?usp=sharing

 

Serviço:

Semana Criativa de Tiradentes - 19-22/10/2023

Espaço Encontro da Águas

Local: Quatro Cantos Espaço Cultural - Tiradentes - MG

 

Bate-papo Rio Doce, Doce Mar

Ronaldo Fraga e Convidados

19/10/2023 - 16h30

Centro Cultural Yves Alves - Auditório


Informações para imprensa:

Marcia Fonseca
11-96378.0821
[email protected] 

Ivo Chicuta
11-98719.8478
[email protected]


Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Manezinho News Publicidade 1200x90
Contato pelo whatsapp...
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp