26/04/2021 às 00h00min - Atualizada em 26/04/2021 às 00h00min

Alunos da rede estadual de Santa Catarina contam como conseguiram se destacar na redação no Enem

Da Redação
Divulgação
Pablo Gabriel Machado, de 18 anos, concluiu o 3º ano do Ensino Médio em 2020 na Escola de Educação Básica Dom Orlando Dotti, em Caçador. Apesar de não ter tido festa de formatura, por conta da pandemia, ele pode comemorar duplamente: além de ter tirado 980 na redação no Enem, acaba de ser classificado para o curso de Medicina, na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Seguindo um rígido cronograma, que incluía mais de 10 horas de estudo por dia, Pablo aproveitou os finais de semana para melhorar a escrita da redação: “Treinei bastante e estava tranquilo em relação ao conteúdo, pois consegui inserir referências e um bom repertório sociocultural que tive das aulas de história.”

O tema da redação do exame em 2020 foi “O estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira”. Ele comenta ainda que no início foi difícil se adaptar às aulas na modalidade não presencial, mas, a partir da metade do ano, ficou mais acostumado com a rotina à frente dos livros e do computador. “No entanto, como o Enem foi adiado para o início de 2021, a rotina de estudos foi mais longa e cansativa do que esperávamos”, pontua.

Na semana passada foi divulgado o resultado da chamada do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do Ministério da Educação, por meio do qual os candidatos com melhor classificação no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) são selecionados para universidades públicas. A nota na redação tem um grande impacto na nota final do Enem e, além de Pablo, outros alunos da rede estadual se destacaram nesse quesito.

Relevância do tema

Outra aluna que tirou 980 na redação foi Ana Carla Sipriani Balbinot, de 18 anos. Ela também fez o 3º ano na Dom Orlando Dotti e prestou vestibular para Medicina, mas não foi chamada. Agora, ela aguarda o resultado da lista de espera para sua segunda opção de curso: Medicina Veterinária.

Ela afirma que a adaptação às aulas remotas exigiu grande determinação e persistência: “Em meio à pandemia tivemos que fazer uma rotina de estudos um pouco diferente do habitual, por isso, criei o hábito de escrever pelo menos duas redações por mês, sempre buscando assuntos pertinentes e possíveis temas, e, acredito que fazer uma busca por repertórios também me auxiliou muito”. Ana considerou o tema da redação muito relevante, “principalmente nesse momento que estamos passando, muitas pessoas procuraram saber mais sobre o assunto e repensar algumas atitudes”.

Apoio dos professores

Iolanda Moreira foi a professora de Língua Portuguesa de ambos os alunos na EEB Dom Orlando Dotti. Mesmo que o ano letivo de 2020 tenha sido quase que integralmente no ensino remoto, ela afirma estar feliz de ter conseguido auxiliar os alunos do terceiro ano em suas produções textuais. “Eles já tinham um amplo conhecimento e se dedicaram ao máximo. De minha parte, investi bastante nos possíveis temas que poderiam cair no Enem e também trabalhei a estrutura do texto dissertativo-argumentativo”, pontua.

Os alunos também foram auxiliados pelo professor Cassiano Picolotto. Em 2020 ele não trabalhou em sala com os alunos, pois estava na equipe gestora da escola, mas isso não impediu que eles o procurassem para dar dicas e auxiliar nas produções: “Durante a pandemia os alunos do Terceirão, em especial, se superaram. Buscaram o conhecimento de maneira autônoma e sem dúvidas foram protagonistas neste momento difícil que o mundo passa”.

Prática é essencial

O primeiro colocado do Sisu para Engenharia Mecânica no Instituto Federal de Lages (IFSC) foi o jovem Bruno Baroni Talamini, que fez o Terceirão na EEB Casimiro de Abreu, em Curitibanos. Apesar de ter considerado difícil conciliar ao mesmo tempo a escola e a preparação para o ENEM, Bruno reforçou os estudos após o fim do ano letivo, em dezembro e na primeira quinzena de janeiro. Ele optou por focar em matemática e redação.

“Eu estudava de segunda a segunda, aproveitando ao máximo o meu tempo. Vi vídeos sobre redação e pratiquei muito. Para mim, o segredo da redação está correção. O ENEM corrige a redação de uma forma muito rígida, se fugir dessas regras você acaba perdendo pontos. Para facilitar, pesquisei citações e repertórios que poderiam ser usados em diversos temas, ajudando a criar analogias durante a redação”. O esforço valeu a pena, já que ele tirou 960 na avaliação de seu texto para o Enem.

A estudante Ana Carolina Baggio Menegasso concorda que a prática é essencial. Ela tirou 960 na redação e se formou no Ensino Médio Integral em Tempo Integral (EMITI) da EEB Toneza Cascaes, em Orleans. Além de buscar referências de filósofos, sociólogos, obras literárias e cinematográficas, ela buscou escrever pelo menos uma redação por semana, “pois é necessário prática para compreendermos como iremos construí-la de forma mais fácil e rápida”.

Com o isolamento as aulas passaram a ser lecionadas de forma on-line, dessa forma Ana buscou se adaptar para conciliar os estudos da escola com os específicos para o Enem: “Os finais de semana eu reservava para fazer as redações e os simulados, pois precisava aperfeiçoar o tempo de realização da prova”. Ana Carolina atualmente cursa Ciências Contábeis na Unibave, em Orleans, e pretende iniciar uma segunda graduação em Matemática.
Link
Notícias Relacionadas
Comentários »
Contato pelo whatsapp...
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp