22/04/2021 às 00h00min - Atualizada em 22/04/2021 às 00h00min

Apesar da alta em fevereiro, setor de serviços ainda mantém prejuízo acumulado em SC

Da Redação
Ricardo Wolffenbuttel/ SECOM
O volume de serviços de Santa Catarina aumentou 3,9% em fevereiro frente ao mês anterior- esta é décima taxa positiva seguida. Desde abril de 2020, quando as atividades tiveram queda de 14,4%, a média de crescimento mensal (Mai/20 até Fev/21) foi de 3,27%, entretanto, esses movimentos positivos ainda são insuficientes para cobrir as perdas acumuladas dos últimos 12 meses, que totalizam 2,9% para o setor.

Entre os setores, três das cinco atividades mostraram resultados negativos, com destaque para a diminuição de 29,10% nos serviços prestados às famílias, seguidos pelos serviços de informação e comunicação; e transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio, com perdas de 3,00% e 3,20%, respectivamente.

Esse resultado adverso nos serviços prestados às famílias pode estar ligado à redução das medidas de incentivo a economia e às incertezas decorrentes do avanço da pandemia e seus reflexos na renda e no emprego. Além disso, deve ser fruto da substituição que as famílias fizeram durante o período mais intenso da crise e da necessidade de ampliação de isolamento social, à exemplo da troca da alimentação fora do domicilio pela comida em casa, beneficiando o comércio, mas prejudicando os serviços.

O desempenho positivo no primeiro bimestre do ano em Santa Catarina (7,5%) aponta a continuidade da recuperação da atividade econômica no Estado. No entanto, o avanço da pandemia e das restrições legais, além da lenta perspectiva da vacinação em larga escala para a população, tem elevado a incerteza sobre a retomada da economia.

Os indicadores econômicos para o primeiro trimestre do ano mostram sinais preocupantes, como níveis de preços acelerado e aumento das taxas de juros de mercado, condições que reduzem o espaço para o consumo ao diminuir o poder de compra e pressionam negativamente o acesso ao crédito, por isso, os gastos das famílias tendem a diminuir. Reforça essa tendência os resultados da pesquisa realizada pela entidade que indica a Intenção de Consumo das Famílias (ICF) catarinenses.

 índice segue se deteriorando e encerrou o mês de março com patamar de 50,6 pontos. São 12 meses seguidos que o índice apresenta queda mensal comparado ao mês anterior, nesse período, houve queda média de 6,6%.

Turismo

O panorama das atividades turísticas em Santa Catarina mostra os impactos das medidas de restrições impostas para o controle e diminuição da propagação da Covid-19.  Em fevereiro, o volume de atividades turísticas registrou queda de 36,2% no acumulado dos últimos 12 meses em Santa Catarina- os dados não mostram sinais de recuperação em curto prazo. Ao analisar a variação mensal comparado ao mesmo período do ano anterior, o volume das atividades turísticas encerra fevereiro com redução de 23,6%.

Em 2021, as perdas chegam ao patamar de 24,4%, resultado semelhante em relação a média (março/20 até fevereiro/21) negativa de 26,19% na variação acumulado no ano. Esse movimento reflete também na queda das receitas nominais geradas pelo setor, que acumulam drástica redução de 37,90% no acumulado dos 12 meses.

Cenário extremamente preocupante também é visível na movimentação dos postos de trabalho no Estado de Santa Catarina. Com base nas informações divulgadas pelo Novo Caged em fevereiro, os impactos são negativos em 176 municípios. O setor fechou 10.661 postos de trabalho no acumulado de 12 meses.  O ritmo negativo afetou, principalmente, as empresas com até 249 empregados, que totalizam saldo negativo de 15.058 empregos.
Link
Notícias Relacionadas
Comentários »
Contato pelo whatsapp...
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp