29/03/2023 às 15h32min - Atualizada em 30/03/2023 às 00h01min

Liderança Feminina no Varejo

SALA DA NOTÍCIA IZIO&Co
https://www.izioloyalty.com.br/
Freepik / Divulgação
É notório que, apesar de todos os desafios e barreiras, com muito esforço, as mulheres vêm, ainda que de passo em passo, conquistando o seu espaço no mercado de trabalho, em especial, quando se trata de cargos de liderança. Preconceitos, vieses inconscientes, questões culturais, maternidade, autoritarismo, discriminação, subserviência, o papel de coadjuvante, a necessidade de mostrar muito mais trabalho que o homem e de desenvolver um estilo de liderança mais masculino, além de diferenças salariais, são alguns dos desafios e barreiras a serem suplantados.

Apesar da forte presença do tema liderança feminina na agenda corporativa, e de toda evolução quando se trata de mulheres assumirem postos no topo das empresas, as estatísticas são ainda mais desanimadoras. No varejo, esses dados não são diferentes: embora tenhamos grande presença de mulheres em lojas (atendentes, operadoras de caixa, balconistas, entre outros), quando se trata da presença delas em  cargos de liderança, a participação ainda é bem restritiva sendo menos de 6%.

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Mulheres do Varejo (IMDV), realizada entre 2019 e 2020, com 150 profissionais mulheres da área, só reforça as estatísticas. 80% das executivas classificam o papel da mulher como primário e em desenvolvimento e 78% dizem que o nível de esforço para alcançar cargos de direção é muito alto. Lembrando que, em muitos casos, em especial no varejo alimentar e farma, a mulher tem um papel relevante no processo decisório: mais de 80% das decisões de compras estão nas mãos delas, o que representa, a maioria dos shoppers destes canais. 

Embora distante de protagonizar o papel que nos cabe no mundo de negócios, em especial, no tocante ao varejo, o fato é que a diversidade precisa estar inserida e integrada à cultura das organizações. Não à toa, para acelerar este processo e dar mais oportunidade para mulheres em cargos de liderança, temos acompanhado o surgimento de inúmeras iniciativas e movimentos, como realização de estudos e investimentos na promoção, divulgação e a conscientização sobre o tema;  troca de conhecimento e informações; capacitação e mentorias; empoderamento e autoestima; união de homens e mulheres em prol da diversidade; além do investimento em ações que ajude a todos em mudança de mindset e cultura. 

Você pode estar se perguntando: “Por que vale a pena investir nessa diversidade”? Bem, de acordo com o relatório “Women in Business and Management: The business Case for Change”, em um estudo feito com 13 mil empresas, em 70 países:
  • 57% concordam que iniciativas de diversidade de gênero melhoram os resultados dos negócios; 
  • 2/3 das empresas que investiram em diversidade de gênero relatam aumento do lucro entre 5% e 20%; 
  • 57% disseram que é mais fácil atrair e reter talento;
  • 54% disseram ter visto melhoria na criatividade, inovação e reputação da empresa;
  • 37% consideram que essas iniciativas permitem avaliar com mais eficiência a visão do cliente. 

Entre as companhias com diversidade, o relatório também apurou que 21% delas são mais propensas a terem lucratividade acima da média em relação às companhias com pouca diversidade na liderança.

A transformação está em curso, o que nos falta é sermos protagonistas das nossas escolhas, ousar mais e nos arriscarmos mais. Como dizia Madre Teresa de Calcutá, “quem olha para fora sonha quem olha para fora desperta”.


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Manezinho News Publicidade 1200x90
Contato pelo whatsapp...
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp