04/07/2022 às 14h27min - Atualizada em 04/07/2022 às 18h14min

Dor lombar por estresse: fisioterapeuta ensina como identificar e dá dicas para aliviar

As pessoas com mais queixas são aquelas com idade entre 25 a 45 anos, a prevalência maior é nas mulheres

SALA DA NOTÍCIA 2B Press

Sentir dor não é normal. No entanto, nem sempre é fácil saber a causa de determinado incômodo. Na pandemia, muitas pessoas deixaram de fazer atividade física e passaram a ficar mais tempo sentadas ou deitadas. Contudo, não são apenas esses dois fatores que podem causar a famosa dor nas costas. O estresse também está relacionado a isso. 

“A maioria dos pacientes que atendo na clínica se queixa de dor na região lombar. Nós tratamos a dor e quando é o caso de ser oriunda do estresse, fazemos a educação em dor, com a quebra de paradigmas e crenças, e expomos o paciente à atividade física. Mas, é importante a pessoa entender a causa e tomar algumas atitudes para que ela não volte”, explica a fisioterapeuta e osteopata Marina Valladão. 

Ela explica ainda que grande parte dos pacientes está na idade em que o volume de trabalho é muito intenso, o que consequentemente gera uma pressão maior e mais estresse. 

Além disso, existe também uma pressão social na faixa etária de 25 a 45 anos de que a pessoa precisa estar formada, ter dado a entrada no apartamento, casado, entre outros fatores, o que também contribui para o aumento dessa dor, conforme explica a fisioterapeuta. 

A dor na região lombar ocasionada por estresse é chamada de biopsicossocial, isso significa que a pessoa não possui um problema mecânico, mas sim alterações sociais, biológicas e psicológicas que fazem com que ela sinta essa dor”, explica Marina. 

Ela diz que se for uma dor mecânica, causada por fatores físicos, ela é mais simples de ser resolvida. Para começar, a fisioterapeuta ensina a fazer o seguinte exercício para tentar aliviar a dor:

“A pessoa deve sentar na ponta da cadeira com os pés bem apoiados no chão. Na sequência vai fazer um movimento de anteversão e retroversão da pelve, que é basicamente levantar o bumbum e relaxar a coluna, e repetir algumas vezes. Esse exercício é chamado de relaxado e hiper corrigido.”

Contudo, a fisioterapeuta alerta que quando a dor foge do controle é necessário procurar ajuda de um profissional para não ter danos maiores. “Se você tem algo que te incomoda e dificulta a funcionalidade do dia a dia ou quando a dor é aumentada pelo estresse e afeta a rotina, como o sono e a disposição para o trabalho, é hora de procurar um profissional”, comenta.

Além disso, Marina ressalta que é muito importante as pessoas tomarem certos cuidados no dia a dia para evitar essas dores, alguns deles são: 

  • Evitar ficar parado por muito tempo;
  • Praticar meditação;
  • Fazer atividades que dêem prazer;
  • Evitar comportamento sedentário;
  • Realizar atividade aeróbica para melhorar humor e os fatores neurotróficos;
  • Praticar atividade física.

Marina Valladão | @clinicamarinavalladao

Fisioterapeuta formada há 20 anos pela Escola Superior de Ensino Helena Antipoff - Pestalozzi. Osteopata, formada pela Escuela de Osteopatia de Madrid. Possui foco no Método Mckenzie, um sistema completo de avaliação, tratamento e prevenção. Responsável técnica na Clínica Marina Valladão, localizada no RJ, e atende também em SP.


Link
Notícias Relacionadas
Comentários »
Contato pelo whatsapp...
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp