24/05/2022 às 12h50min - Atualizada em 25/05/2022 às 00h01min

Tecnologia a favor da agilidade na construção civil

SALA DA NOTÍCIA Paula Ferezin
 

TECNOLOGIA A FAVOR DA AGILIDADE NA CONSTRUÇÃO CIVIL

 

* Por Juliana Quinderé

 

Tradicionalmente, a construção civil é considerada um setor pouco inovador. A McKinsey constatou que a produtividade no setor evoluiu apenas 1% ao ano nas últimas duas décadas, enquanto a indústria, de uma forma geral, cresceu 3,6% ao ano, quando falamos em escala mundial. No Brasil, outra pesquisa da mesma consultoria mostra os baixos índices de produtividade: ao avaliar 100 megaprojetos no país, 80% tiveram aumento nos custos, além de atrasos de quase 20 meses na entrega. Mas esse cenário muda diariamente e tenho o privilégio de afirmar que acompanho de perto essa transformação, contribuindo ativamente para essa evolução. 

 

Venho de uma família de engenheiros, me formei em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Ceará (UFC) em uma turma com 120 estudantes dos quais apenas 14 eram mulheres. Em minha trajetória profissional acompanhei diversas etapas da obra e presenciei como a falta de planejamento das equipes e a pouca tecnologia disponível atrapalham as entregas. 

 

Há alguns anos, para fazer um acompanhamento de um grande empreendimento, por exemplo, eu passava cerca de três dias – isso mesmo: três dias! – desde a etapa de coleta de dados em campo, entrando em cada cômodo, de cada pavimento, para fazer as anotações – a mão – para depois chegar no escritório, passar todas as informações para o computador, compilar os dados e assim gerar os relatórios. Sujeito, é claro, a erros humanos comuns, como uma digitação errada ou um registro rasurado. Em média, todo o processo levava cerca de oito dias úteis, considerando um grande esforço para entregar da forma mais rápida possível. Lembrando que, depois de uma semana, todas essas informações já estavam desatualizadas, afinal a obra continuou a todo vapor, e o relatório que deveria auxiliar na tomada de decisão acaba perdendo o seu objetivo. 

 

A falta de inteligência nesse processo sempre me incomodou. Tinha que ter outra forma de fazer isso, mais rápida, prática e eficiente.  Além, é claro, da dificuldade em ganhar escala com todo esse processo feito de forma tão arcaica. Estudando as possibilidades, conheci programas que facilitavam um pouco o processo, que poderiam ser acessados pelo tablet, o que ajudava, mas ainda não era o suficiente. Depois de muita pesquisa e estudo, utilizando a metodologia Lean, em parceria com os meus sócios, desenvolvemos uma tecnologia ágil que coleta os dados direto da obra, em tempo real com a execução. Os relatórios são gerados diretamente na plataforma e o que levava oito dias agora pode ser acessado a qualquer instante.

 

Os princípios Lean são aplicados nas análises, o que reduz a variabilidade, diminui a possibilidade de ter erros ou informações duplicadas e os profissionais têm, em um simples clique, todos os dados necessários para a tomada de decisão. Por meio da IOT (internet das coisas) o profissional faz o check-in com o seu próprio crachá ao chegar no local de trabalho, inicia sua atividade e indica quando a concluiu, recebendo a próxima. Dessa forma, é possível acompanhar de qualquer lugar a evolução de todas as etapas da obra, sugerir ajustes para o planejamento e fazer consultas ao histórico de resultados. Além disso, para garantir que as atividades que estão sendo executadas sejam concluídas e pagas com qualidade, o sistema ainda emite alertas liberando checklists para que a equipe de qualidade faça a verificação. Como resultado, a obra – equipe de campo e sala técnica – passa a ter os seus setores 100% integrados e em tempo real. 

 

É fundamental considerar que as tecnologias estão em constante evolução e na construção civil isso não é diferente. Há cinco anos começamos a desenvolver a plataforma e todos os dias enxergamos melhorias. A integração com o BIM, por exemplo, permite aos usuários terem uma visão ampla e precisa de todas as etapas da obra. Com duas vezes mais aderência entre planejamento e execução, os benefícios também incluem 10% de ganho em velocidade de produção, 15% em produtividade, 5% de redução nos custos das obras, além da informação em tempo real durante todo o processo, já que tudo funciona de forma 100% digital.  

 

Sem passar o dia “apagando incêndios” com as informações necessárias, a gestão é otimizada e toda a equipe ganha tempo, podendo se dedicar mais ao estratégico com a certeza de que o operacional está funcionando. A mudança na construção civil está a pleno vapor e quanto mais utilizarmos as tecnologias disponíveis, mais tempo de qualidade teremos para pensarmos em melhorias, desenvolvermos novas ideias e colocarmos em prática projetos diferenciados. Inovação atrai inovação e precisamos disseminar essa prática cada vez mais no setor. Eu já comecei, e você?

 

Juliana Quinderé é diretora de Operações da Agilean. Formada em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Ceará, possui MBA em Gestão de Projetos da Escola Politécnica da UFRJ e mestrado em Inovação Tecnológica e Propriedade Intelectual pelo PROFNIT-IFCE.



 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Manezinho News Publicidade 1200x90
Contato pelo whatsapp...
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp