31/12/2020 às 00h00min - Atualizada em 31/12/2020 às 00h00min

​Campos do Jordão: pedacinho da Europa na Serra da Mantiqueira, em São Paulo

Marcos Eduardo Carvalho
Fotos: Marcos Eduardo Carvalho e divulgação
Que tal um passeio pela bucólica, acolhedora e aconchegante Campos do Jordão? A cidade, que fica na Serra da Mantiqueira, região do Vale do Paraíba, em São Paulo, foi colonizada por europeus e é tida como a ‘Suíça Brasileira’.

Por lá, passagem milhares de turistas todos os anos, principalmente durante o Festival de Inverno, que em 2020 acabou sendo cancelado por conta da pandemia do novo coronavírus. Aliás, a Covid-19 causou grande impacto no comércio local e, aos poucos, o comércio e rede hoteleira, grande mola propulsora da economia local, volta a se reaquecer.

Agora no final de dezembro, muitos lugares voltaram a fechar após o governo do estado decretar a fase vermelha na flexibilização, até 3 de janeiro, para tentar conter o avanço da doença.

Em Campos, cidade com pouco mais de 40 mil habitantes e com várias casas típicas europeias, no estilo enxaimel, existem diversas atrações. Uma delas é o famoso teleférico da cidade, que sai no Morro do Elefante (de onde se tem uma visão panorâmica do centro da cidade) e vai até o Parque Capivari, que recentemente instalou uma Roda Gigante.

Outros locais, como o Pico do Itapeva, Ducha de Prata, Horto Florestal, Parque Amantkir, entre outros, fazem parte da ‘lista obrigatória’ para os turistas.

Isso sem contar a gastronomia e o tradicional chocolate quente, item também obrigatório para os visitantes. Além da iluminação e enfeites natalinos no final do ano, que também são uma atração à parte.

SEGURANÇA SANITÁRIA.

Por conta da pandemia, os comerciantes tiveram que se readaptar para atrair o público. E, até mesmo para evitar aglomerações, muitos turistas optam por restaurantes e hotéis mais afastados do centro.

Com a vacinação ainda longe de ter uma solução no Brasil, comerciantes da região apostam na higienização e na segurança sanitária para atrair clientes e visitantes nas cidades da Serra da Mantiqueira, principalmente durante o final do ano e início de janeiro, quando esperam aumento nas visitas por conta das férias.

Em Campos do Jordão, o empresário Beto Perroy, proprietário do restaurante Beto Perroy Grill, no bairro Descansópolis, aposta também na distância da agitação do centro para atrair visitantes. O local conta com o churrasco gaúcho no chão como seu ponto forte. Segundo o proprietário, o uso de máscaras é obrigatório no momento em que o cliente for se servir, além da utilização de luvas descartáveis; só devem ser retiradas quando forem à mesa. “Estamos seguindo todo protocolo o cuidado todos com nossos clientes e usando a medida de segurança”, disse Perroy.

No centro de Campos, mas fora região do Capivari, o Boteco e Pizzaria Itapeva também aposta nas regras do Centro de Contingência durante o período de flexibilização da quarentena. “Estamos seguindo o protocolo impostos pelo governo de São Paulo, com 40% da capacidade, higienização do ambiente a cada troca de cliente, entrada somente de máscara, álcool em gel espalhado por todo o restaurante e antes da abertura uma limpeza e sanitização do ambiente”, disse o proprietário Willian Cassiano.

Atualmente, no período de Natal e Ano Novo, o estado está na fase Vermelha do plano de Flexibilização, porém, a partir do dia 3 de janeiro, retomam a fase amarela, com uma flexibilização maior.

HOSPEDAGEM.

O serviço de hotelaria também vem apostando na segurança sanitária para receber clientes no período. No hotel Serra da Estrela, situado bem no centro de Capivari, principal região turística de Campos, a gerência informou que treinou intensamente os funcionários e implantou medidas específicas para manter o local, os funcionários e os hóspedes protegidos do coronavírus.

 “Os cuidados que tomamos são para a proteção de todos e garantem tranquilidade tanto para hóspedes quanto para funcionários. Não teríamos como reabrir sem pensar no bem estar de cada pessoa que recebemos em nossos ambientes”, disse Fernando Oliveira, da ‘Entre! Hospitalidade’, empresa responsável pelo treinamento.
Além disso, esse hotel tem outro diferencial: o café da manhã e o restaurante vegano.

SANTO ANTÔNIO DO PINHAL.

No caminho de Campos, está a pequena, pacata, bucólica e acolhedora Santo Antônio do Pinhal, cidade de cerca de 7.000 habitantes, também na Serra da Mantiqueira, no Vale do Paraíba.

O município é muitas vezes ponto de parada para que vai a Campos, mas também conta com diversas opções de lazer e um comércio com muitas variedades no centro e um artesanato muito forte, que atrai moradores de outras cidades da região.

Isso sem contar a beleza natural de lugares como o Pico do Agudo e também a estação de trem Eugênio Lefreve, ponto de parada do tradicional bondinho de Campo do Jordão, que oferece cafés, chocolates, artesanato e uma bela visão do Vale.
O Rancho Zig Zag, no bairro Lageado, em Santo Antonio, é um dos locais onde a pessoa pode comer e se hospedar. E aposta na pouca circulação de pessoas para manter a segurança sanitária na pandemia – além do restaurante, o espaço conta com chalés para os clientes passarem a noite.
 
 
Link
Notícias Relacionadas
Comentários »
Contato pelo whatsapp...
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp