18/11/2021 às 12h37min - Atualizada em 19/11/2021 às 00h00min

Com 110 mil inscritos, primeiro dia do Fórum RME discutiu empreendedorismo, inovação, saúde mental e diversidade

10ª edição do Fórum traz como tema ‘Mulheres e empreendedorismo criando um futuro melhor!’ para abordar impactos sociais, financeiros e econômicos do empreendedorismo feminino

SALA DA NOTÍCIA Casé Comunica
www.casecomunica.com.br
Divulgação/Fórum RME 2021


De acordo com dados do Sebrae, existem 6,4 milhões de estabelecimentos no Brasil e 99% são micro e pequenas empresas (MPE). Estima-se ainda que cerca de metade desses negócios são liderados por mulheres. Neste cenário, Ana Fontes, fundadora da Rede Mulher Empreendedora, abriu o 10º Fórum RME, que contou em seu primeiro dia com oito painéis que abordaram o empreendedorismo sob vertentes como inovação, diversidade, saúde mental, inclusão e sustentabilidade.

Daniele da Mata, maquiadora, empresária e criadora da Damata Make Up, especialista em produtos para pele negra, começou as palestras contando sobre sua jornada empreendedora. Ela deixou ainda como dica primordial para quem quer ou já está empreendendo que “Cuide da saúde mental e deixe espaço para erros e obstáculos”, afirmou Daniele. 

Em seguida, Ju Paolucci, especialista no em inovação, defendeu que a inovação pode ser muito mais simples do que se imagina. “Inovação incremental é o que nos faz melhorar a cada dia. Testar, errar e aprender é um ciclo chave para a evolução do negócio. Ou seja, pequenos passos somados que tem impacto enorme. Inovação não é diferencial, é sobrevivência, de um dia paro o outro, por causa da pandemia, fomos obrigados a nos reinventar”, afirmou a empreendedora. 

No bloco sobre ‘Diversidade e inclusão formando negócios entre grandes empresas e empreendedores’, a Co-CEO da Rede Mulher Empreendedora, Célia Kano, abriu a conversa com Margareth Goldenberg e Thaisa Thomaz. Para esse time, há um efeito de retroalimentação, ou seja, quanto mais se ouve sobre diversidade mais diversidade há no ecossistema corporativo. E de acordo com Margareth “Diversidade é um imperativo de negócios. Juntas, empresas e suas equipes, vão tornar essa pauta sempre mais relevante”, comentou.

A Super Mentoria deste primeiro dia do Fórum RME contou com Márcia Rocha, advogada, empresária e líder do Trans Emprego, que respondeu mediada por Flávia Durante. Como dica para as empreendedoras, a empresária citou “gastar menos do que ganha, empresa não quebra quem quebra é o dono. Empresa tem que ser tratada como tal, sobreviver e te pagar um salário com aquilo que sobra, essa gestão financeira é uma das partes mais difíceis e importantes”, disse Márcia.

Para encerrar a programação, o Fórum RME trouxe ainda um papo sobre como projetos estão criando um futuro que apoia ações de sustentabilidade, cultura e mobilidade com Gloria Tupinambás e Ariane Marques. E fechando, uma conversa vital sobre saúde mental que teve Izabella Camargo, Tatiana Pimenta, João Luiz Marques e Gianpiero Sperati.


Sobre o Instituto RME
O Instituto RME, criado em 2017, é o braço social da Rede Mulher Empreendedora - RME e está apoiado em valores como igualdade de gênero, oportunidade para todos, educação, capacitação acessível e colaboração social. O foco é capacitar mulheres em situação de vulnerabilidade social em todo o Brasil e ajudá-las a conseguir autonomia sobre suas vidas e seus negócios.
 
Sobre a Rede Mulher Empreendedora
Primeira e maior rede de apoio a empreendedoras do Brasil, a Rede Mulher Empreendedora – RME existe desde 2010 e já impactou mais de 750 mil pessoas. Criada pela empreendedora social, Ana Fontes, tem como objetivo apoiar as mulheres na busca por autonomia econômica e geração de renda, por meio de capacitações, conteúdo qualificado, conexões, mentorias, acesso ao mercado através de marketplace, programas de aceleração e acesso a capital.

A RME promove eventos anuais como a Casa das Empreendedoras e o Fórum Empreendedoras; eventos mensais como Café com Empreendedoras e Mentorias; também conta com um programa de aceleração, o RME Acelera, cursos intensivos para quem quer empreender, trilhas de conhecimento online e o programa RME Conecta, que faz a ponte entre negócios de mulheres com grandes empresas para negociação e fornecimento B2B. Além disso, conta com um marketplace com 1691 empresas cadastradas. Em 2017, Ana Fontes resolveu ampliar seus objetivos e criou o Instituto Rede Mulher Empreendedora, focado na capacitação de mulheres em situação de vulnerabilidade.
 
Mais informações para imprensa:
Casé Comunica
www.casecomunica.com.br
Link
Notícias Relacionadas
Comentários »
Contato pelo whatsapp...
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp