19/10/2021 às 15h20min - Atualizada em 19/10/2021 às 16h30min

“Sinto que faço parte de uma reconstrução da música pop brasileira”, diz Gloria Groove no Trace Trends

Em entrevista, cantora fala sobre estereótipos acerca de drag queens, música, diversidade e planos no TT desta semana

SALA DA NOTÍCIA Janaina Bernardino
Glória Groove na gravação do Trace Trends. (Foto: Reprodução)
 

O quadro ‘Trace Papo’ recebe a cantora, dubladora e ícone drag queen, Gloria Groove. Com mais de dois milhões de ouvintes mensais no Spotify, Gloria é a artista do momento,  desde do boom com o hit ‘Bumbum de Ouro’ e ‘Apaga Luz’, a cantora tem se mostrado uma artista completa no mundo da música. Criada da zona leste de São Paulo, é referência para a comunidade LGBTQIA+, se destaca com feats e hits atemporais, como o seu último lançamento ‘Bonekinha’ e a parceria com a cantora Iggy Azalea,  ‘Brazil’. Em conversa com Alberto Pereira Jr, no episódio do Trace Trends já disponível no Globoplay e que vai ao ar sexta (08) às 17h no Multishow, Groove fala sobre diversidade, música e trajetória.

“Eu tinha minhas referências de pop nacional quando eu era criança, mas hoje eu sinto que faço parte de uma reconstrução da música pop brasileira, e é muito gratificante sentir isso, que eu tenho uma contribuição para tudo isso que estamos vendo e para o que o pop ainda vai se tornar um dia”, ressalta. “E isso não vai parar de se expandir, porque cada vez mais teremos contribuição das nossas manas pretas, das manas trans, não-binárias e as manas sapatão. A contribuição virá de todos os lugares inimagináveis e a gente tem que estar preparado para receber todo mundo e para falar sobre tudo o que vai ser falado. A gente já conhece tantos ícones hoje que não conseguem se enquadrar, que não cabem em nenhuma caixinha, imagina daqui 10, 15 anos como que não vai ser a nossa cena? A diversidade fala sobre isso, acho que estamos vendo só a pontinha do iceberg do que vai ser, essa cena vai ser tão vasta e colorida que iremos ter dificuldade de escolher um favorito”, conclui. 

A cantora ainda destaca sua trajetória e os desafios de quebrar alguns paradigmas. “A nossa jornada acaba sendo sobre adquirir mais respeito, seja profissional, pessoal ou familiar, mas se tratando de um artista como eu, isso se ressignifica em tantos níveis porque eu venho representando um recorte, que são as drags queens, a arte performática, toda essa parte teatral que faz parte da minha construção”, diz.

“Uma caixinha que eu quero me libertar é a da artista de boate, eu lembro de ter muito essa sensação quando comecei. Eu vinha acumulando muitas funções na minha vida, enquanto Daniel Garcia, cantor e ator, e me vi em um lugar de querer fazer algo por paixão. Para mim fazia todo sentido, mas percebi que a valorização seria mínima e que teria o pessoal que não iria curtir. Então, eu quero me libertar da caixinha que a arte drag, supostamente, não merece este espaço. Nós merecemos sim, estamos aqui e somos a prova viva disso tudo”, pontua. 

O programa traz ainda Mano Brown e o seu podcast ‘Mano a Mano’, as advogadas e ativistas Juliana e Silvia Souza, Ad Júnior explicando o fenômeno Lil Nas X, Geovana, a rainha do samba rock, e as novidades musicais com Bafros de RDD com Luccas Carlos, Jef Rodriguez, Edi Rock, Linn da Quebrada e Ney Matogrosso, Rubia Divino e Tássia Reis com Urias, Preta Ary e Evehive.

Com  apresentação de Alberto Pereira Jr., Xan Ravelli, Ad Júnior, João Luiz Pedrosa e Babu Santana, o Trace Trends tem, a cada semana, um episódio inédito exibido às quartas-feiras no Globoplay e às sextas-feiras, às 17h, no Multishow.


 
Link
Notícias Relacionadas
Comentários »
Contato pelo whatsapp...
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp